liderança feminina, empoderamento economico, diversidade, equidade, igualdade, Mulheres em Conselhos, gender gap, women in latin america, diversidade, género,
Mais educadas, elas ainda ganham menos do que os homens.Cargo de direção, comando de empresa, é lugar de mulher? No Brasil, parece que não é. De cada 100 postos de alta gestão nas empresas brasileiras listadas na Bolsa de Valores, apenas 8 são ocupados por mulheres. Nos últimos 15 anos esta “divisão” pouco mudou, como mostrou pesquisa da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas, com 70 mil cargos de direção entre 1997 e 2012, divulgada pelo Estadão no último dia 11, pág. B15.

O assunto interessa em vários sentidos, inclusive produtividade. Matéria do The Wall Street Journal (de Joann S. Lubin) divulgou pesquisa do grupo Catalyst: grandes empresas com três ou mais mulheres conselheiras alcançavam resultados financeiros bem melhores dos que as que não tinham nenhuma. Aliás, para avaliar diferença de produtividade entre gêneros basta ser professor de gente adulta. Na hora de estudar, de verdade, moças são bem mais atentas, responsáveis e produtivas do que os rapazes. Será muito diferente no ambiente de trabalho?

Por Leonardo Trevisan, professor da PUCLEIA MAIS