Com 67 candidatas por vaga, programa de capacitação de mulheres para o mercado mostra forte interesse

Em 2020, o programa de formação e mentoria Dn’A Women, organizado pelos bancos Goldman Sachs Brasil, Deutsche Bank, UBS e BNP Paribas, atraiu 4 mil universitárias para 60 vagas. Forte demanda mostra que as mulheres estão em buscas de colocações em finanças, mas ainda são poucas as iniciativas

Por Naiara Bertão, Valor Investe — São Paulo

Trinta porcento. É difícil encontrar uma empresa do mercado financeiro que tenha um percentual acima de 30% de mulheres em relação ao quadro total de funcionários. Quando avaliados cargos de diretoria e conselho de administração, então, os números são ainda menores. Uma das maneiras de garantir maior representatividade feminina nas empresas é por meio da atração de novos talentos. E um processo seletivo em especial mostra o forte e crescente interesse de jovens mulheres para conhecer esse mercado.

Idealizado e organizado pelos quatro bancos internacionais no Brasil – Goldman Sachs, Deutsche Bank, UBS e BNP Paribas – o programa Dn’A Women fez em 2020 sua segunda edição. Mesmo com as limitações que a pandemia trouxe, o programa atraiu 3.997 candidatas para as 60 vagas, três vezes mais do que sua primeira edição, em 2019, quando 1.318 universitárias se candidataram para o programa de mentoria e formação.

A média de 66,6 candidatas por vaga (ante 22 no ano anterior) abre os olhos do setor financeiro para uma realidade: as meninas estão querendo sim ocupar mais espaços no mercado financeiro, mas falta ainda aproximação com as empresas do setor, conhecimento sobre as áreas em que podem atuar e oportunidades de emprego.

“O que mais me chamou a atenção do programa foi a aproximação com as lideranças das empresas e o networking que fiz com as meninas que participaram e os mentores que me acompanharam. Quando passei no processo seletivo do programa, um mundo novo de oportunidades e pessoas se abriu para mim”, comenta Milena La Rubia, universitária que participou da primeira turma.

Estudante de economia da Universidade de São Paulo, Milena nunca tinha tido contato com o mercado financeiro antes e gostou de conhecer as diferentes áreas de um banco, entender o que cada uma faz, os produtos que oferecem e como é a dinâmica do dia a dia de trabalho de uma instituição financeira.

Milena não apenas conseguiu, este ano, uma vaga na área de corporate banking no Deutsche Bank, como também está propagando o que aprendeu nas redes sociais: criou um canal do Youtube com seu nome onde publica vídeos sobre carreira no mercado financeiro para outros(as) estudantes.

“Com o canal no Youtube eu quero traduzir o que é o mercado financeiro para estudantes do ensino médio e que estão na universidade. É um mundo muito diferente e a ideia do projeto é tentar simplificar o que é a carreira no mercado financeiro”, conta. Ela também criou um grupo no aplicativo de mensagens instantâneas Telegram que conta com cerca de 1 mil pessoas onde divulga vagas no setor financeiro.

A vontade de desmistificar o mundo das finanças para outras jovens mulheres também levou a estudante de engenharia da Poli-USP Mariane Frigerio a criar o “Elas no Mercado Financeiro” com outras duas amigas que conheceu na Liga do Mercado Financeiro da sua faculdade, no segundo semestre de 2019. “Até então eu não tinha tido contato com o mercado financeiro, não conhecia as oportunidades, mas sabia que não queria construir a carreira na área de engenharia”, conta ao Valor Investe.

Quando o fundo de investimento Advent pediu à Liga contatos de mais estudantes mulheres para aumentar o número de candidatas em seu processo seletivo de estágio, Mariane percebeu como era difícil encontrar pessoas para indicar.

“A Liga tem pouco mais de 20 pessoas e éramos apenas três meninas. Quando uma empresa ligou pedindo currículo de mulheres que estavam interessadas no mercado financeiro, ficamos em choque. Não estávamos inseridas nesse setor e começamos a pensar em como tentar mudar isso, fazer com que outras mulheres se interessassem pela área”, diz.

O Elas no Mercado Financeiro, que tem também o objetivo de divulgar informações sobre carreira no mercado financeiro para mulheres via redes sociais e eventos junto a faculdades, começou a ser desenhado no primeiro semestre de 2020, mesma época em que Mariane ficou sabendo do Dn’A Women e se inscreveu.

“Achei que estava alinhado com o que estávamos pensando para o grupo e diretamente relacionado com os assuntos que discutíamos no momento. Tive certeza que queria participar. As aulas não ofereciam apenas a parte técnica, mas também soft skills e achei interessante. O programa de mentoria também me chamou muito a atenção”, diz a estudante.

Leave a Reply

Your email address will not be published.