WILL lança programa especial de mentoria com foco na ascensão de mulheres negras à cargos de liderança

Iniciativa foi especialmente desenvolvida para aumentar a representatividade deste grupo nos quadros de alta gestão.

Com o propósito de ampliar a diversidade e acelerar a ascensão de líderes negras à cargos de liderança sênior e board, a organização sem fins lucrativos WILL – Women in Leadership in Latin America formatou, com apoio da consultoria especializada em recursos humanos, SERH1, um programa de mentoria especialmente direcionado para as necessidades de talentos negros em níveis de coordenação e gerência. A primeira
edição da iniciativa, batizada de EBWL – Empower Black Women to Senior Leadership, vai reunir 21 mentoradas e 10 empresas em torno de um único objetivo: alavancar a carreira de mulheres negras para que alcancem cargos de liderança executiva.

Segundo Silvia Fazio, presidente da WILL, a participação de mulheres em cargos de liderança é ainda tímida no Brasil, mas quando se analisa o recorte de mulheres negras esse percentual é muito inferior. “Há algum tempo a WILL passou a olhar para essa questão, que impacta diretamente a diversidade no ambiente corporativo, e nos mobilizamos para promover iniciativas que contribuam para a mudança deste cenário. Neste ano, por exemplo, a pesquisa Mulheres na Liderança, que mapeia a situação das mulheres em cargos de alta gestão, vai trazer um recorte especial para mulheres negras. O programa de mentoria é um outro passo que complementa essa estratégia de valorização e capacitação dos talentos negros para que alavanquem suas carreiras rumo ao topo”, comenta.

O desenvolvimento técnico do programa ficou à cargo da consultoria SERH1, especializada em aceleração de carreira, e ao longo dos anos também desenvolveu expertise para aceleração para grupos de minorias, que, neste caso, trabalhou com 100% do foco direcionado para os desafios enfrentados por mulheres negras em cargos de média gestão. Durante o processo, o EBWL contou ainda com o apoio da consultoria EY, incorporando sua expertise em gestão de projetos; do escritório de advocacia Machado Meyer, que contribuiu com a assessoria jurídica que um programa de grande porte exige; e da InPress Porter Novelli, responsável pela estratégia de comunicação.

Durante a etapa de criação, a equipe mapeou os entraves que costumam impedir o crescimento profissional de talentos negros e desenvolveu uma grade de conteúdo e atividades que engloba aspectos comportamentais e técnicos, divididos em temas como: autoconhecimento, comunicação, gestão de produtividade, gestão de risco e finanças.

O resultado foi uma jornada de capacitação se inicia em outubro e terá duração de um ano, período em que cada uma das 21 participantes será acompanhada por uma dupla de mentores, responsáveis por guiá-las nesta trajetória de autoconhecimento e empoderamento profissional.

O conteúdo do programa também contou com a curadoria de um experiente time de conselheiros da WILL, incluindo: Alessandra Del Debbio – Microsoft; Andréa Cruz – SERH1; Andréia Andrade – EY; Beatriz Alli – Machado Meyer; Jandaraci Araújo – Conselheira CIEE SP; Juliana Vidotto – EY; Raquel Novais – Machado Meyer; Silvia Fazio – Northon Rose Fullbright; e Theo Van Der Loo – Natuscience. O trabalho do grupo foi fundamental para disseminar o conceito que levou à criação do EBWL e gerou o engajamento de grandes empresas na iniciativa.

A primeira edição vai contar com o patrocínio e participação deimportantes companhias com atuação em diversos segmentos da economia, como: Ambev, Bayer, BRK Ambiental, Diageo, EY, Itaú, Machado Mayer, Microsoft, Prumo e Vivo; que não só indicaram talentos para a mentoria, como se comprometeram a disponibilizar executivos de alta liderança para atuarem como mentores. “Mais do que um movimento em prol da diversidade e inclusão, essas empresas estão fazendo parte de um pacto de evolução coletiva do mercado corporativo, com forte impacto para a sociedade como um todo. Elas estão trabalhando para uma mudança de pensamento social, em que sua contribuição impacta todo o ecossistema em que essas profissionais estarão inseridas”, afirma Andréa Cruz, CEO da SERH1 e uma das idealizadoras do projeto.

Além do conteúdo customizado, os grandes diferenciais do EBWL – Empower Black Women to Senior Leadership, em relação a outros programas de mentoria, são o acompanhamento emocional que cada mentorada receberá ao longo de todo o processo e a etapa de preparação dos executivos convidados para dividir suas experiências com o grupo. “Contemplamos um passo anterior, um período de preparação em que os profissionais escolhidos como mentores receberão uma série de informações para contextualizá-los, incluindo letramento racial. E, para as jovens participantes incluímos sessões com profissionais especializados para ajudá-las a lidar com questões emocionais que possam ser afloradas durante o treinamento”, explica Andréa.

A aula magna, que marcará a abertura da primeira edição do EBWL – Empower Black Women to Senior Leadership, acontece no dia 04 de outubro, com a palestra da Conselheira e Executiva Jandaraci Araújo. As companhias interessadas em apoiar ou participar da iniciativa, que abrange profissionais e empresas de toda a América Latina.

Leave a Reply

Your email address will not be published.