WILL reúne CEOs da América Latina para debater ESG e diversidade na liderança

Diversidade, inclusão e boas práticas estão entre os temas que serão abordados durante o evento, transmitido on-line e aberto ao público.

A WILL (Women in Leadership in Latin America) realiza, no dia 25 de novembro, a sétima edição do painel “Convidando os Homens para o Debate”, evento em que líderes de grandes empresas, com atuação internacional, compartilham suas vivências e pontos de vista sobre questões relacionadas à equidade de gênero e a promoção das mulheres a cargos de alta liderança executiva na América Latina.

Com o intuito de destacar iniciativas bem-sucedidas e entender as dificuldades enfrentadas ao longo do processo, o debate online terá transmissão no site e nas plataformas online do Estadão (YouTube, Facebook, Twitter e LinkedIn), a partir das 10h. A edição deste ano terá como convidados: Edvaldo Vieira, CEO da Amil; Juan Ferreira, presidente da Sumitomo Chemical para a América Latina; Luis Henrique Guimarães, CEO da Cosan; Rodrigo Kede Lima, CEO Latam da Microsoft; e Ted Acosta, CEO Latam South da EY. A mediação da conversa ficará sob a responsabilidade da jornalista Fernanda Guimarães, do Estadão, empresa que ao lado da EY, Goldman Sachs e InPress Porter Novelli são apoiadores da WILL na iniciativa.

“As mudanças comportamentais impostas pela pandemia neste último ano e meio promoveram um impacto profundo no ambiente e nas relações de trabalho.  Mais do que nunca, torna-se necessária a discussão do papel dos altos executivos na promoção da diversidade na alta liderança. O cenário é propicio para isso e nunca vimos tanto interesse pelo tema por parte das grandes corporações”, diz Silvia Fazio, presidente da WILL. “A sétima edição do Convidando os Homens para o Debate é dedicada a uma liderança mais humana e ao debate das metas ESG voltadas a políticas de diversidade de gênero”, completa.

A abertura do evento será feita, a partir das 10h, pela presidente da WILL, a advogada Silvia Fazio. O evento é gratuito e aberto ao público e terá tradução simultânea para o espanhol. Para acompanhar, basta acessar o site ou as redes sociais (YouTube, Facebook, Twitter e LinkedIn) do Estadão.

Leave a Reply

Your email address will not be published.