ILUSTRAÇÃO USADA NO ESTUDO MULHERES NA LIDERANÇA 2018 (FOTO: REPRODUÇÃO)

Diversidade é um tema recorrente nas organizações. Várias pesquisas já demonstraram os ganhos em produtividade, criatividade e inovação. Apesar de avanços, contudo, a participação feminina nos cargos de liderança nas empresas ainda não é ideal. A pesquisa Mulheres na Liderança 2019 analisou ações das empresas e traz uma lista das empresas com as melhores práticas na promoção da equidade de gênero. Fruto de uma parceria da WILL (Women in Leadership in Latin America) com o Valor Econômico, O Globo, Época NEGÓCIOS e Marie Claire e realizado pela Ipsos, o estudo analisou 165 empresas, em temas como práticas de equidade, recrutamento, flexibilidade, interseccionalidades e composição de gênero nos quadros.

Schneider Eletric foi o grande destaque da pesquisa. Uma das principais medidas adotadas pela companhia é a de ter ao menos uma mulher entre as finalistas em qualquer processo seletivo.

Durante a premiação, a presidente da WILL, Silvia Fazio, destacou a necessidade de aprimorar os programas que já existem entre as empresas. “Fala-se muito sobre diversidade e sobre dar oportunidade às mulheres, mas vemos muitos programas que não geram resultados realmente produtivos”, diz. “Queremos auxiliar as companhias a elaborar programas que possam mudar os números [relativos à presença de mulheres]. É isso o que importa no final das contas.”

A maioria das empresas (65%) que participaram do estudo monitoram a proporção entre homens e mulheres contratados, e 54% das companhias dizem contratar mais mulheres do que homens para cargos de maior nível hierárquico.

Quanto às conclusões finais, o levantamento mostra que “apesar de estar cada vez mais disseminada a importância das mulheres ocuparem mais os cargos de liderança, a maior parte das companhias não possui políticas para a ascensão de mulheres aos cargos de diretoria, vice-presidência e conselho de administração”.

As áreas analisadas foram indústria e comércio & serviços. De todas as empresas analisadas, somente 41% têm alguma política formal sobre equidade de gênero, com metas claras e ações planejadas. Em multinacionais (57% do total), o número sobe. Nessas empresas, a promoção de equidade está na agenda da alta liderança – pelo menos 52% dos participantes desse nicho têm a pauta de forma prioritária na agenda do CEO.

Abaixo, confira as empresas premiadas:

Nacional
Braskem

Multinacional
Schneider Electric

Outros destaques
Schneider Electric
Souza Cruz

Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal
Deloitte

Por categoria, as empresas premiadas foram as seguintes:

Agronegócio
Cargill

Alimentos e bebidas
Diageo

Automotivo
Bosch

Consultoria
KPMG

Cosméticos e higiene pessoal
Avon

Educação
Ânima Educação

Energia
Exxon Mobil

Farmacêutico
Bristol-Myers Squibb

Indústria da construção
LafargeHolcim

Instituição financeira
PayPal

Jurídico
Mattos Filho

Química e petroquímica
White Martins

Serviços financeiros, seguros e capitalização
Zurich Santander

Serviços 
Sodexo Onsite

Serviços de saúde
Sabin Medicina Diagnóstica

TI & Telecom- serviços digitais
Uber

TI & Telecom – Tecnologia
IBM

Varejo
GPA

Fonte:

Época Negócios Online. As empresas com melhores práticas para promover a liderança feminina. Época Negócios, São Paulo, 08 de agosto. de 2019. Disponível em: <https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2019/08/empresas-com-melhores-praticas-para-promover-lideranca-feminina.html>. Acesso em: 12 de agosto. de 2019.

Translate »